Deputado Jorge Vianna reúne Governo, Ministério Público, Sindicatos e Associação em audiência pública sobre vacinação de professores da rede privada

51

Por Anna Araújo

O deputado distrital Jorge Vianna realizou audiência pública para debater a necessidade de vacinação para os professores das escolas particulares do Distrito Federal. O objetivo da audiência foi mostrar a importância de imunizar os professores deste segmento de ensino que já retornaram à sala de aula ano passado e até o momento não foram incluídos nos grupos prioritários.

Já de início o deputado chamou a atenção para que a imunização seja para todos os profissionais de educação que trabalham nas escolas e não só os professores. “É preciso incluir na vacinação os profissionais que muitas vezes são esquecidos, como os vigilantes, auxiliares de limpeza e administrativos. Todos fazem parte da educação também”, afirma.

Muitas instituições de ensino reclamam que não tem conseguido se cadastrar para que seus profissionais possam se vacinar devido a algumas exigências da Secretaria de Educação, o que foi questionado pelo deputado. “Quando a escola é impedida de fazer o cadastro quem está sendo punido não é o estabelecimento, e sim o profissional. A prioridade deve ser o trabalhador, e não a instituição, pois ele está sendo impedido de ser imunizado”, destaca o parlamentar.

Segundo a assessora especial da Secretaria de Educação, Valéria Cristina, a SEE já está revendo estes credenciamentos e afirmou que todas as escolas e creches que ainda não se cadastraram poderão enviar a lista com os seus profissionais para que sejam inclusos na vacinação.

O diretor jurídico do Sindicato dos Professores em Estabelecimentos Particulares de Ensino do DF – SINPROEP, Rodrigo Pereira, contestou o critério de vacinação que prioriza os professores da rede pública. “Não entendo porque o governo está fazendo esta distinção e vacinando primeiro os professores das escolas públicas, todos são professores, independente se a escola é pública ou particular”, questiona.

Para o subsecretário de Vigilância à Saúde, Divino Valero, o governo tem se preocupado com o número de doses para estes profissionais, uma vez que a estimativa do Ministério da Saúde está bem aquém da realidade das instituições do ensino do DF. “O repasse do Ministério da Saúde, é de apenas 33 mil doses, sendo que o nosso público de profissionais de educação é de bem maior. 52 mil profissionais da rede pública e 22 mil da rede privada. Ou seja, temos aí um outro problema a ser resolvido”, alerta. Porem o subsecretário garantiu que os professores das escolas particulares vão ser vacinados a partir de terça-feira, dia 29/06.

Jorge Vianna aproveitou a audiência pública e pediu a inclusão das faculdades e escolas técnicas no cadastro de vacinação. “É preciso que os profissionais destas instituições também sejam contemplados com a vacina, já que igualmente fazem parte da rede de ensino”, solicita.

Participaram da audiência pública representantes do Ministério Público do Trabalho, da Secretaria de Saúde, da Secretaria de Educação, do Sindicato dos Estabelecimentos Particulares do DF – SINEPE, do Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos Particulares de Ensino Superior – SINDEPES, do Sindicato dos Professores em Estabelecimentos Particulares de Ensino no DF – SINPROEP e da Associação de Pais e Alunos das Instituições de Ensino do DF – ASPA.