Para impedir interdição, governo amplia carga horária de enfermeiros do HRBz

146

Por Anna Araújo

Após reunião na última segunda-feira (16) na sede do Conselho Regional de Enfermagem do Distrito Federal – Coren/DF, com a presença do deputado distrital, Jorge Vianna e representantes da Secretaria de Saúde, para tratar da interdição ética no Hospital Regional de Brazlândia, o Governo do Distrito Federal ampliou a carga horária de dez enfermeiros para que tenham profissionais em todos os turnos nas 24h de funcionamento do hospital.

A equipe de fiscalização do Coren/DF marcou a interdição do HRBz para esta quarta-feira (18), devido a diversas fiscalizações em que foi constatada a falta de enfermeiros, o que fere o exercício da profissão, além de colocar em risco a vida de pacientes por falta de atendimento.

Para o deputado Jorge Vianna, esta medida do governo é um paliativo que não resolve a situação. “O que a SES precisa fazer é chamar mais concursados e fazer um dimensionamento de pessoal, é preciso planejamento por parte dos gestores, que não estão sabendo enxergar a realidade de cada hospital”, pontua o parlamentar, que sempre defendeu a nomeação de servidores da saúde para acabar com a falta de pessoal na rede pública.

Com a ampliação da carga horária, o GDF conseguiu uma liminar que impedisse a interdição do hospital, o que não foi visto com bons olhos pelo Coren/DF. “O juiz tomou a decisão sem ouvir nos ouvir, a partir de alegações infundadas prestadas pela procuradoria do GDF. A instituição foi formalmente notificada e o rito de interdição obedeceu rigorosamente o que manda a legislação”, lamenta o presidente do Conselho Regional de Enfermagem do DF, Elissandro Noronha.