Início Notícias Distrito Federal Frente Parlamentar em Defesa do SAMU defende ampliação dos serviços de emergência

Frente Parlamentar em Defesa do SAMU defende ampliação dos serviços de emergência

145

Em sessão solene de lançamento da Frente Parlamentar em Defesa e Fortalecimento do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e dos serviços de atendimento de emergências, nesta terça-feira (17), no plenário, o presidente do colegiado, deputado Jorge Vianna (PSD), defendeu estrutura própria e autonomia para o SAMU, com a criação de um centro de treinamento, a fim de propiciar ampliação dos serviços de emergências, inclusive para atendimentos aéreos e aquáticos.

Vianna, que pertence à categoria, recordou os plantões profissionais no SAMU, e descreveu os desafios da atuação parlamentar. “Enfrento tudo pelos colegas do SAMU e pela saúde do DF”, garantiu, ao citar sua recente conquista, como presidente nacional da comissão de saúde da UNALE (União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais), que lhe permitiu conhecer os serviços de atendimento de urgências em âmbito nacional e adquirir robustez política: “Hoje me sinto preparado para presidir a Frente Parlamentar em Defesa do SAMU”. A união nacional é um dos objetivos do colegiado, que pretende atuar na ampliação e melhoria na prestação desse serviço. 

Do mesmo modo, o deputado federal Fernando Máximo (União-RO), que preside a Frente Parlamentar pelo Fortalecimento do SAMU do Congresso Nacional, enfatizou a importância da “união de forças entre os samuzeiros” para obter conquistas, como equipar veículos, otimizar a estrutura de atendimento e melhorar as condições de trabalho dos profissionais. Ao mencionar a rotina produtiva, que abrange atendimento pré-hospitalar, ele parabenizou os profissionais que “salvam vidas” e defendeu a ampliação desse serviço para diversos municípios.

Nesse sentido, o diretor do Complexo Regulador do Distrito Federal, Marcus Antônio Costa, afirmou que o SAMU figura entre os serviços de saúde pública considerados mais confiáveis pela população. Ele destacou a abrangência dos serviços de emergência que atuam em parceria e sincronia com o SAMU, a exemplo dos cuidados com picadas de cobras e acidentes. “Sabe a importância do SAMU quem teve um parente atropelado, acidentado, infartado; a população liga 192 e o atendimento é fantástico”, reforçou. 

Samuzeiros

Representante do SAMU local, a enfermeira Vanessa Rocha reivindicou melhoria na gestão dos serviços e a criação de um centro de descompressão para a categoria, a exemplo das academias usadas pelos corpos de bombeiros. Vanessa discorreu sobre os desafios profissionais e pleiteou aumento das equipes, entre outros pontos, a fim de alcançar a excelência no atendimento. Por sua vez, o enfermeiro do SAMU, Flávio Vitorino Costa, sugeriu transformar o serviço em autarquia, desvinculado da Secretaria de Saúde do DF, para garantir autonomia.

Já os riscos da profissão foram descritos por Felipe Gonçalo, coordenador do Grupo de Motociclistas em Atendimento de Urgências (GMAU), que reforçou a necessidade de ampliação das equipes de atendimento no DF. Gonçalo informou que hoje há sete duplas de motociclistas atuando no DF, mas deveria haver dez, considerou.

Nilton Batista e Josy Jacob, do Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem no DF (Sindate-DF), e Gilney Guerra, do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), manifestaram apoio à Frente Parlamentar. Batista citou o concurso para técnicos de enfermagem, que deve permitir o aumento das equipes de atendimento do SAMU, e Jacob argumentou pela valorização profissional.