A convite de Jorge Vianna e Rafael Prudente, presidente do IGESDF tira dúvidas de distritais

151

Vianna questionou preços praticados em contratos do antigo IHBDF, bem como modelos de contratações de funcionários e nomeações de servidores na gestão do Instituto de Gestão Estratégica do DF

Por Kleber Karpov

O diretor presidente do Serviço Social Autônomo (SSA), Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF (IGESDF), Francisco Araújo, na manhã de quinta-feira (15), tirou dúvidas de deputados na Câmara Legislativa do DF (CLDF). A reunião, ocorreu a pedido dos presidentes da CLDF, Rafael Prudente (MDB) e da Comissão de Educação, Saúde e Cultura (CESC), Jorge Vianna (Podemos), para dar esclarecimentos sobre o modelo de gestão, dos hospitais de Base do DF (HBDF), Regional de Santa Maria (HRSM), além das seis Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) do DF.

Durante a entrevista, Vianna questionou a suposta economia anunciada pelo antigo Instituto Hospital de Base do DF (IHBDF), recém convertido em IGESDF, em relação aos pagamentos realizados. Isso porque o Instituto anuncia redução de custo na aquisição de medicamentos e insumos, porém, utiliza por referência, reduções tímidas, aos preços pagos pela Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF), que por sua vez paga, por produtos e serviços, em geral com sobrepreço, se comparado os valores praticados pelo mercado.

Vianna também apontou a estranheza, de o IHBDF terceirizar o serviço de radiologia e imagem, ao custo de R$ 21 milhões, ou ainda o pagamento de R$ 51 milhões, para o fornecimento de refeição hospitalar, pela empresa Sanoli. “Gastar R$ 21 milhões com imagem, com esse valor poderíamos montar uma central de radiologia e imagem para atender toda a demanda do DF.”, ponderou.

Vianna também questionou a metodologia a ser estabelecida pelo IGESDF em relação a política de definição de cargos e salários, além de observar que o Instituto realizou apenas um processo seletivo, amplo e, posteriormente, passou a realizar contratações por meio do site de empregos, Vagas.com. O que na opinião do distrital, ‘bagunçou’ o processo de contratações de funcionários celetistas para o HBDF.

O presidente do IGESDF informou que a atual gestão, inaugura “um novo momento da Saúde” e informou que os contratos do Instituto devem ser revistos e publicitados no site da entidade. Araújo informou que deve se pautar nas definições salariais, por práticas pelo mercado para definir os salários para contratação de funcionários do HBDF e demais unidades geridas pelo Instituto.

Na ocasião, Araújo, também apresentou aos parlamentares, os valores pagos pelo Instituto, relativo a folha de pagamento dos servidores, de janeiro desse ano, inclusive aos gestores do Instituto.

Outros vários questionamentos foram realizados, por outros parlamentares, ao presidente do IGESDF, porém, como o tempo foi insuficiente, em razão do tempo que levou a reunião e do horário avançado comprometido, em decorrência da sessão da CLDF. Uma reunião técnica deve ser agendada para que Araújo e gestores do IGESDF possam prestar mais esclarecimentos.