“Defendo a isonomia de tratamento e de salários” diz Jorge Vianna durante acolhimento de novos profissionais do IGESDF

31

Deputado ratificou o mandato em prol dos trabalhadores e dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS)

Por Kleber Karpov

O deputado distrital, Jorge Vianna (Podemos), participou da cerimônia de acolhimento de 189 novos profissionais de saúde do Instituto de Gestão Estratégica da Saúde do DF (IGESDF). Durante o evento realizado, na manhã desta quinta-feira (1º/Ago), no auditório da Câmara Legislativa do DF (CLDF), Vianna reafirmou o mandato em prol da defesa dos direitos dos trabalhadores e dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).

IHBDF x IGESDF

Na ocasião, Vianna lembrou a insegurança que o levou a votar contrário, no início do mandato, ao Projeto de Lei de criação do IGESDF. Posição essa relacionada a falta de transparência e aos excessos de denúncias em relação ao antigo Instituto Hospital de Base do DF (IHBDF). Algumas, originadas pelo próprio deputado, à época em que exercia a função de vice-presidente do Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do DF (SINDATE-DF).

“O que nós tínhamos era um outro instituto [IHBDF] cheio de denúncias e que nós inclusive o fizemos, pois não havia transparência de nada. Não sabíamos sequer, quanto os diretores do instituto recebiam. Como votar em um projeto desse? No mínimo, eu estaria fazendo política por camaradagem, por ser da base [do governo], e eu não faço isso. Não voto em nenhum projeto, por ser amigo de presidente, de governador. Minha bandeira foi, e sempre será, a do trabalhador.”, disse Vianna.

Isonomia entre profissionais de saúde

O parlamentar parabenizou a gestão do IGESDF, por conceder o que considerou inédito, a Folga ao Aniversariante, aos profissionais de saúde do Instituto. Concessão essa, acordada, em assembleia realizada recentemente pelo SINDATE-DF, no Hospital de Base do DF.

Jorge Vianna aproveitou o espaço, também, para reiterar o pedido ao presidente do IGESDF, Francisco Araújo, à concessão das folgas compensatórias, aos trabalhadores celetistas do instituto, uma vez que os servidores estatutários contam com tal benefício.

Isonomia com as mulheres

Jorge Vianna apelou ainda à sensibilidade de Araújo, para o tratamento isonômico com as mulheres do IGESDF, de modo a conceder, licença-maternidade, de seis meses, período concedido às servidoras estatutárias, pois as celetistas do instituto, contam com apenas quatro meses.

“Que as mulheres possam ter a licença-maternidade de seis meses igual têm as servidoras públicas. Porque as servidoras CLT tem quatro meses e servidoras públicas têm seis meses? Afinal de contas são bebês diferentes?, mulheres diferentes? Não, são as mesmas mulheres.”, ponderou.

Acompanhe a cerimônia: