Jorge Vianna questiona cobrança para produção fotográfica no Pontão do Lago Sul

97
Foto: Wilter Moreira

Embora empresa alegue ter decisão favorável à cobrança de fotógrafos profissionais, Vianna pondera que locação para produção fotográfica é estabelecida pelos clientes

Por Kleber Karpov

Na terça-feira (17), o deputado distrital, Jorge Vianna (Podemos), utilizou a tribuna da Câmara Legislativa do DF (CLDF), para questionar a cobrança, por parte da Empresa Sul Americana de Montagens S/A (EMSA), detentora de concessão firmada em 1996, pela Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap), para produção fotográfica no Pontão do Lago Sul, situado no SHIS, QL 10 do Lago Sul.

O deputado, recebeu denúncia de um grupo de pessoas, por intermédio da Comissão de Educação, Saúde e Cultura (CESC) da CLDF. Ao apurar junto a EMSA, Vianna foi comunicado que uma decisão por parte do Tribunal de Justiça do DF (TJDFT), de 2015, garante a Empresa, a cobrança, por parte de fotógrafos profissionais, na unidade. Decisão essa decorrente de ação ajuizada pelo Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT).

Vianna classificou a cobrança como “absurda” e observou que embora os fotógrafos sejam os alvos das cobranças, quem define a locação para realização de ensaios fotográficos é o cliente. “O fotógrafo não ganha nada para tirar foto no Pontão. Quem perde na verdade é o cliente, que vai ter que pagar, mais ainda.”, disse ao sugerir que a EMSA reveja tal cobrança.