Após pedido de Jorge Vianna, Secretaria de Saúde flexibiliza utilização de ponto eletrônico

182

Mas para deputado, medida ainda é tímida, dado seriedade de risco de contaminação de servidores pelo coronavírus

Por Kleber Karpov

Na quarta-feira (18/Mar), a subsecretaria de Gestão de Pessoas (Sugep), da Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF), publicou a Circular n.º 12/2020 – SES/SUGEP que dispensa os servidores a registrarem os horários de entrada e saída, no ponto eletrônico, durante o horário de almoço.

A inciativa ocorre, após o deputado distrital, Jorge Vianna (Podemos), utilizar a tribuna da Câmara Legislativa do DF (CLDF), para pedir a suspensão total do uso do ponto eletrônico, enquanto DF estiver empenhado em acabar com a disseminação do Covid-19.

“Fico extremamente feliz que o governador, e o secretário de saúde estejam atentos as nossas demandas, aqui da Câmara Legislativa, no sentido de ajudar a combate a disseminação do coronavírus, o Covid-19. Principalmente a sensibilidade do governador Ibaneis, que ao contrario do que ocorre, por exemplo, no governo federal, tem agido pronta e preventivamente para minimizar a possibilidade de disseminação desse vírus.”, disse Vianna.

No entanto, o deputado, observou que embora a iniciativa da SES-DF, reduza a probabilidade de contaminação com o Covid-19, Vianna, em visita realizada ao hospitais regionais da Asa Norte (HRAN) e de Taguatinga (HRT), além de reclamações recebidas, por exemplo, da ausência de álcool gel, próximo aos pontos eletrônicos, em algumas unidades de saúde. O que o parlamentar classificou como “extremamente preocupante”, por expor a saúde dos servidores.

“Pode parecer chatice, quando venho a tribuna pedir que se forneça EPI (Equipamento de Proteção Individual] aos servidores, aos vigilantes, ao pessoal da limpeza, mas estamos lidando com uma situação sensível e é extremamente preocupante ver, com já foi dado pela mídia que, na Itália, por exemplo, 20% dos profissionais de saúde morreram enquanto tentavam salvar as pessoas do coronavírus. Então, creio que esse é o momento que temos que pecar pelo aparente excesso e evitar ao máximo a possibilidade de contaminação. Vivemos por anos sem o ponto-eletrônico e, nesse momento, entendo como salutar, suspender totalmente, o uso de ponto eletrônico e reduzirmos o máximo possível os focos de possível contaminação. Então nesse sentido, volto a reiterar o pedido ao governador e ao secretário de saúde, que suspenda totalmente o uso do ponto. Se tivermos servidores contaminados, será mão-de-obra a menos para atender a população.”, ponderou Vianna.

Confira a circular