Jorge Vianna destinou 2,5 milhões em emendas para a Educação do DF

Recursos destinados por Vianna, representam 73% do montante de R$ 2,46 milhões, destinados por parlamentares à Educação do DF.

329

Em 2020, o deputado distrital, Jorge Vianna (Podemos), destinou 1,8 milhões, em emendas parlamentares para escolas públicas do Distrito Federal. Ao todo, 40 escolas, de 10 Regiões Administrativas (RAs) foram beneficiadas. Tais recursos equivalem a 73% do montante destinado por deputados, ao Programa de Descentralização Administrativa e Financeira (PDAF) da Secretaria de Estado de Educação do DF (SEDF).

Regiões Administrativas de Samambaia, Taguatinga, Ceilândia, Núcleo Bandeirante, Recanto das Emas, Brazlândia, Riacho Fundo I, Gama, São Sebastião e Santa Maria receberam aporte provenientes de emendas parlamentares de Vianna

Na RA Samambaia, 22 unidades de ensino receberam um aporte total de R$ 910 mil, seguida de Taguatinga com R$ 240 mil, São Sebastião com R$ 150 mil, Recanto das Emas com R$ 125 mil, Núcleo Bandeirante com R$ 100 mil, Gama com R$ 90 mil, Ceilândia com R$ 80 mil, Santa Maria com R$ 50 mil, Brazlândia com R$ 30 mil e Riacho Fundo I com R$ 25 mil.

Para Vianna, que preside a Comissão de Educação, Saúde e Cultura (CESC) da Câmara Legislativa do DF (CLDF), garantir que as escolas públicas do DF, recebam tais recursos por meio do PDAF, dado a pandemia do coronavírus (Covid-19), permite que as escolas possam das as condições necessárias aos professores, para garantir o ensino dos estudantes do DF.

“Vivemos uma situação extremamente crítica por causa da pandemia do Coronavírus e, com os recursos provenientes do PDAF, direcionados pelo deputados, por meio das emendas parlamentares, ajudamos a garantir a manutenção do ensino, principalmente, nesse ano que vivemos com a tragédia da pandemia do coronavírus.”, explicou.

Vianna observa ainda que os recursos do PDAF, permitem as escolas a executarem pequenas obras, além de fazerem outras manutenções e aquisições de computadores. “Imagine um cenário em que com a pandemia, mesmo o governo podendo realizar compras emergenciais, se direções de ensino não tivesse a flexibilidade que têm do PDAF para dar respostas rápidas aos professores, aos estudantes e a sociedade. É um recurso que chegou, certamente, em boa hora e facilitou muito a vida da população do DF.”, disse.