Nota de repúdio à agressão da técnica em enfermagem na UBS de Vicente Pires

147

Como Enfermeiro e Técnico em Enfermagem expresso minha profunda indignação e repúdio ao comportamento do senhor que xingou de “filha da puta” e deu um soco na boca da técnica em enfermagem da UBS – Unidade Básica de Saúde – de Vicente Pires, na manhã da quarta-feira (29/09).

É um absurdo sem tamanho que situações como essas continuem acontecendo com a Enfermagem e que o responsável continue impune. São profissionais que vivem expostos e que estão ali com o objetivo de ajudar, de servir, no entanto, constantemente eles se veem ameaçados e acabam se sentindo desprotegidos no exercício da sua função. Não podemos mais aceitar esse tipo de violência, seja verbal ou física.

A enfermagem é composta predominantemente por mulheres, e está virando moda essa agressão nos hospitais com as profissionais, e esse tipo de situação continua acontecendo justamente porque a legislação não está sendo sendo cumprida. É sabido que “Desacatar funcionário público no exercício da função ou em razão dela continua a ser crime”, conforme previsto no art. 331 do Código Penal, pena – detenção, de seis meses a dois anos, ou multa. Então, até quando iremos permitir que os servidores continuem sendo agredidos?