Início Notícias Distrito Federal Dep. Jorge Vianna trabalha como servente de limpeza

Dep. Jorge Vianna trabalha como servente de limpeza

582

No Dia do Auxiliar de Serviços Gerais, para dar visibilidade ao tema, abrir espaço para reflexões e propor respeito e valorização destes profissionais, o deputado Jorge Vianna (PSD) assumiu a função por um dia e ouviu relatos dos funcionários de um shopping de Taguatinga.

Após a experiência como servente de limpeza, o parlamentar cobrou o reconhecimento dos trabalhadores da área. Em vídeo divulgado nas mídias sociais, alguns profissionais detalharam ao deputado experiências vividas no cotidiano.

A principal função de um auxiliar de serviços gerais é manter um local apropriado para o bem-estar das pessoas que irão utilizar esse determinado espaço. Infelizmente, os serventes sofrem com preconceito e discriminação, muitas vezes tratados como invisiveis pela sociedade.

Na gravação, a trabalhadora da categoria Maria de Fátima, 43 anos, relata um momento que considerou traumático, no qual uma cliente do shopping pediu para tirarem a bolsa de perto da auxiliar de limpeza, por medo de ter bens furtados.

“Eu estava passando e a moça pediu para tirar a bolsa de perto de mim. Ela [a cliente] disse: ‘Tira, tira, tira essa bolsa daí. Senão, ela [a profissional da limpeza] vai pegar’. Me senti muito mal, ficou todo mundo olhando. As vezes é humilhante pra gente.”, lamentou Maria de Fátima.

Poliana Noronha, 29 anos, servente de limpeza, também compartilhou sentimento parecido. “Você é da limpeza. Nem todo mundo, mas a maioria, te olha de outra forma”, descreveu a profissional.

Chefe de serviços gerais do Shopping, Valmir Santos destacou que todos os colaboradores são essenciais para o funcionamento do centro comercial. “Sem eles, não poderíamos abrir o shopping“, disse.

O deputado complementou as falas dos profissionais da limpeza. “Não existe trabalho mais importante que o outro; por isso, temos de trazer esse tema para a sociedade. Devemos respeitar e valorizar todas as profissões. Estive no lugar deles e vi que essas pessoas sofrem e ralam muito, todos os dias”, afirmou Jorge Vianna.

Assista aos relatos: