Agora é Lei: Estágio passa a contar como tempo de experiência para atuação profissional na Saúde

Para Jorge Vianna, autor do PL originário da Lei, vida dos estudantes deve ser facilitada, sobretudo aqueles que iniciam no mercado de trabalho, ou queiram ingressar no serviço público de saúde

81

O governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB), sancionou na terça-feira (29) a Lei nº 6.690, originária do Projeto de Lei (PL) nº 883/2020, de autoria do deputado Jorge Vianna (Podemos). A Lei garante aos estudantes, a consideração do tempo dedicado em estágios, como tempo de experiência para concursos públicos e processos seletivos realizados no DF.

Para Vianna a nova lei permite que estudantes, sobretudo aqueles em início de carreira, possam facilitar o acesso ao Mercado de trabalho. “A maioria das empresas privadas e algumas entidades públicas, exigem o mínimo de 6 meses de experiência. Acredito que a vivência é realmente importante visto que, aplicamos o que aprendemos na teoria em sala de aula.”.

Concurso público e processo seletivo

O deputado observa ainda que o uso do tempo de estágio como comprovação de experiência também deve facilitar a vida dos concurseiros que tentam ingressar na Secretaria de Saúde ou em outros órgãos da administração pública do DF. Isso porque, com a mudança, bastará ao candidato, apresentar o certificado emitido, para contabilizar o tempo de experiência para a vaga disputada.

“Depois de meses, às vezes anos, de estágio, esses estudantes, ao se candidatarem a uma vaga em um concurso público ou em um processo seletivo, são preteridos por não terem experiência comprovada. Essa conduta é danosa ao estagiário, além de ser injusta. Esse estudante, durante o estágio, quase sempre realiza atividades próprias do profissional titular”, justificou Vianna.