CLDF homenageia servidores por participação em cirurgias do Outubro Rosa e Novembro Azul no HRT

55

Cerca de 100 pessoas passaram por cirurgias de reconstrução de mama, de próstata ou tatuagem, durante campanha de prevenção ao câncer

Por Kleber Karpov

Nesta segunda-feira (02), a Câmara Legislativa do DF (CLDF) realizou sessão solene, presidida pelo deputado distrital, Jorge Vianna (Podemos), em homenagem aos participantes dos mutirões de cirurgias de mamas e de próstatas. Entre os homenageados, estão autoridades, gestores e servidores que participaram das ações alusivas as campanhas do Outubro Rosa e Novembro Azul, realizadas pelo Hospital Regional de Taguatinga (HRT).

Além do deputado, que participou voluntariamente de procedimentos cirúrgicos durante a campanha, compuseram a mesa, a diretora administrativa do HRT, Katia Nunes da Silva, em representação ao superintendente da Região Sudoeste da Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF), Luciano Moresco; a cirurgiã-geral, Izabelle Montanha Barbosa, responsável pela reconstrução das mamas, o diretor do Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do DF (Sindate-DF), Newton Batista.

Na abertura da sessão solene, Vianna, falou sobre o papel de utilizar o mandato em prol da valorização dos servidores da Saúde. “Eu defendo os servidores porque eu sei que temos uma grande maioria porque gosta. Onde você pega um cirurgião plástico que tem uma remuneração considerável na rede privada e está trabalhando praticamente de graça, na rede privada.”, pontuou.

Ao agradecer o empenho de todos os servidores envolvidos nas campanhas do Outubro Rosa e do Novembro Azul do HRT, o deputado lembrou que o hospital, assim como as demais unidades de rede pública de saúde, tem problemas estruturais a serem corrigidos, e se colocou à disposição para cobrar pelas melhorias.

Demagogia

Vianna aproveitou a ocasião para questionar o que chamou de “demagogia”, o pseudo-engajamento durante as campanhas do Outubro Rosa e Novembro Azul, em que se adotam as tradicionais fitinhas azuis e rosas, porém, efetivamente, não se vê empenho prático para ajudar a reduzir os casos de incidência de câncer no DF.

Para a diretora administrativa do HRT, a união de todos os servidores da unidade, foram essenciais para a realização das campanhas do Outubro Rosa e Novembro Azul. “Todos os colaboradores, os vigilantes, a limpeza, todos foram fundamentais para o êxito do nosso trabalho.”, disse Kátia Nunes.

Resgate da feminilidade

A cirurguã-geral Izabelle Montanha fala sobre campanha do Outubro Rosa

Izabelle Montanha, resgatou o surgimento da campanha do Outubro Rosa no HRT.  A cirurgiã explicou que o mutirão surgiu para lidar com a reconstrução de mamas, uma vez que o tratamento do câncer de mama acaba por retirar a feminilidade das mulheres. Pois, além de perderem o cabelo por causa do bloqueio hormonal, quando passam por uma mastectomia, ainda ficam mutiladas.

“O tratamento do câncer para ser vencido, ser tratado ele acaba mutilando as mulheres. Ou retira completamente a mama ou parte, e para as mulheres, ele retira a feminilidade. Elas venceram o câncer, mas deixaram de ser mulheres. E ficavam na fila, aguardando o tratamento e nunca tinham oportunidade no centro-cirúrgico, porque é uma demanda muito grande de várias áreas e a gente nunca tinha espaço, porque elas nunca eram prioridade pois já tinham tratado a doença que podia mata-las que era o câncer. Agora aquela doença que estava matando aos pouquinhos, todos os dias, que prejudicava a família, no trabalho, aquela não era vista, não aparece nos números e não faz Ibope. Então elas aguentavam caladas.”, disse.

Colaboradores e voluntários

A médica explicou que durante a campanha, que nesse ano operou 64 mulheres, e cerca de 40 homens, gestores, servidores, colaboradores e voluntários, se entregaram para garantir que durante o período da campanha para garantir o atendimento aos pacientes. Mesmo com problemas estruturais e a sobrecarga dos profissionais de saúde. “Isso mostra o potencial que a gente tem. se a gente tiver condições de funcionar full-time, igual a gente funciona naquela semana, imagina o tanto de pessoas que atenderíamos no DF”, disse Izabelle Montanha.

O diretor do Sindate-DF também falou do empenho dos profissionais de saúde, em especial dos técnicos em enfermagem, durante as campanhas do Outubro Rosa e Novembro Azul. “Fica meu agradecimento especial a todos da CME, do centro-cirúrgico, e em especial a todos os técnicos em enfermagem e enfermeiros que trabalham nas centrais de material de esterilização pois é dali que sai todos os instrumentos, pinças e bandejas, para realização dos procedimentos. Vimos todo o empenho dos técnicos, tanto do CME quanto dos centros-cirúrgicos e da internação, para receber todos esses pacientes, e os residentes de enfermagem que instrumentaram a maioria das cirurgias.”, pontuou Batista.

Tatuagem de aréola

Vianna lembrou o papel imprescindível dos tatuadores voluntários que atuaram durante a campanha do Outubro Rosa, pela qualidade do trabalho desses profissionais. “Eu vi algumas imagens e fiquei impressionado. Eu não saberia distinguir uma mulher com uma aréola original com uma ‘original’, a menos que se pegasse. Apenas vendo, não saberia dizer a que é tatuada.”.

Homenagem

Ao final da sessão solene, o deputado homenageou os servidores do HRT, com moção de louvor, pelos relevantes serviços prestados à população do DF.

Confira as fotos:

Sessão Solone em Homenagem aos Participantes dos Multirões de Mama e Próstata - HRT

Assista a sessão solene