Nota de Esclarecimento: Investigação do Ministério Público do DF sobre vagas preenchidas na Administração de Samambaia

118

Em relação a possível investigação por parte do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), noticiada pelo site de notícias Metrópoles, nesta quinta-feira (9), que envolve o nome do parlamentar, sobre denúncia de nomeação de sete ou oito parentes na Administração Regional (RA) de Samambaia, o deputado distrital, Jorge Vianna (Podemos), faz os esclarecimentos abaixo.

Sobre a possível denúncia realizada ao MPDFT, aparentemente foram apontados os nomes das pessoas que, hipoteticamente, seriam parentes do deputado. Porém, o deputado esclarece que, caso realmente haja investigação, o Ministério Público deve constatar que deve se tratar de denúncia caluniosa ou estão tentam induzir ou o órgão de controle a erro, ao atribuírem nomes de servidores da RA Samambaia, sem nenhum grau de parentesco com o deputado.

O deputado esclarece que, dentre os nomes apontados: Carlos Alberto de Oliveira, conhecido no meio político por ser diretor do Sindicato dos Auxiliares de Educação do DF (SAE-DF), é chefe de gabinete e, Reinaldo Felix de Araújo Leite, que ocupar o cargo de assessor especial da Coordenação de Licenciamento, Obras e Manutenção da RA, ambos são cunhados do deputado, nomeados pela ex-administradora Glayce Helena. E ainda que a coordenadora de Desenvolvimento Maria Josilene Viana é prima do parlamentar, essa nomeada pelo ex-administrador William Lima. Pessoas essas que de acordo com o deputado, são moradores de Samambaia e foram nomeados, por méritos próprios, e são devidamente preparados para as funções que desempenham. As demais pessoas, que tentam vincular à família do parlamentar, não têm relação nenhuma relação de parentesco com Vianna.

O deputado ressalva também, em relação ao mérito das três pessoas, que o atual administrador de Samambaia, Gustavo Aires, não é indicação do parlamentar e que, ainda assim, foram mantidas na Administração Regional, o que reafirma a competência profissional dos colaboradores, caso contrário, certamente já teriam sido exonerados.

O deputado observa que há algum tempo passou a sofrer uma série de ataques, por parte de pessoas que perderam os postos de trabalho, na RA Samambaia. Prática essa que o deputado considera, infelizmente, podem ser a causa de tal denúncia.

Por fim, Vianna observa que aguarda manifestação por parte do Ministério Público do DF e reafirma não ter cometido nenhuma prática ilegal que comprometa a lisura do mandato parlamentar, que dedica a defender usuários e colaboradores do Sistema Único de Saúde  (SUS) e os interesses da população do DF.