“Bem-vindo a vida, plante essa ideia” é base de PL de Jorge Vianna para plantio de uma árvore à cada bebê nascido no DF

212

Com média de 44,5 mil nascimentos de bebês, anualmente. Projeto de Vianna aposta no resgate da Lei no 4.102/2008, que criou o programa ‘Plantando Vida no DF’, como forma de melhorar qualidade de vida dos brasilienses

Por Kleber Karpov

O deputado distrital, Jorge Vianna (Podemos), protocolou o Projeto de Lei (PL) 968/2020, que dispõe sobre o plantio de semente de árvores em virtude dos nascimentos ocorridos nas Unidades de Saúde das redes pública e privada no Distrito Federal. Para cada bebê nascido vivo, os familiares podem prestar homenagem, com o plantio de uma semente de árvore frutífera ou ornamental.

Conforme estabelecido pelo PL, as unidades de saúde das redes pública e privada, disponibilizarão aos responsáveis pelo bebê, quando da alta hospitalar, a semente, acompanhada de uma mensagem “Bem-vindo a vida, plante essa idéia”. Os locais de plantio, tais como parques, praças e jardins, são definidos a partir de indicação feita pelo Instituto Brasília Ambiental (IBRAM).

O PL, tem por objetivo, o resgate da Lei no 4.102, de 5 de março de 2008,
que criou o programa ‘Plantando Vida no DF’, que consiste na doação de uma muda de árvore para cada criança nascida no Distrito Federal. Lei essa que, após 12 anos, não surtiu efeito prático.

Para Vianna, embora o DF seja relativamente bem arborizado, a iniciativa propicia aumentar o índice de arborização da cidade. Medida que deve melhorar a qualidade de vida da população do DF.

Bebês no DF

Dados do Sistema de Informação sobre Nascidos Vivos (SINASC), módulo do Datasus, do Ministério da Saúde (MS), apontam que entre 2014 e 2018, uma média anual de 44,5 mil e diária de 122 bebês nascidos vivos, um total de cerca de 223 mil nascimentos no DF.

Exemplos

A prefeitura de Itapemirim, no Sul do Espírito Santo (ES), por exemplo, é um município que implementou projeto semelhante, intitulado “Raízes de Itapemirim”, para incentivar o plantio e recuperar áreas degradadas. Inovação que ganhou a adesão da comunidade local.