Jorge Vianna cobra do GDF posse de 821 professores concursados da Educação

57

Deputado lembrou retomada de aulas, na próxima semana, e prejuízo aos concursados, que devem perder processo de transição de adaptação às aulas durante pandemia do coronavírus

Por Kleber Karpov

Nesta terça-feira (23/jun), durante a sessão extraordinária da Câmara Legislativa do DF (CLDF), o deputado distrital, Jorge Vianna (Podemos), cobrou do GDF, o empossamento dos 821 professores da educação básica para a Secretaria de Estado de Educação do DF (SEEDF). Enquanto presidente da Comissão de Educação, Saúde e Cultura (CESC) da CLDF, Vianna ponderou à falta de sentido de realizar contratações de professores temporários, com concursados a serem empossados.

“Venho mais uma vez fazer um apelo ao governo do Distrito Federal, principalmente ao governador Ibaneis, que reveja o ato do decreto que suspendia a posse dos professores concursados da área da Educação, para que eles possam enfim tomar posse.”.

Adaptação às aulas em tempos de pandemia

Vianna observou que há cerca de uma semana, solicitou ao GDF, a nomeação dos professores concursados, uma vez que o governo havia anunciado a retomada das aulas. Isso para permitir que os educadores pudessem participar do processo de transição e prepare para ministrar as aulas on-line, durante esse processo da pandemia do coronavírus (Covid-19).

“Olha o prejuízo que nós e eles estão tendo. Porque semana que vem as aulas começam e eles não estão tendo a transição para que possam contribuir na Educação. Semanas atrás eu tinha pedido para que fossem empossados e pudessem fazer essa interação, juntamente com os efetivos para que pudessem começar juntos.”, ponderou.

Mais prejuízo

O deputado observou ainda  chegou a acionar a Subsecretaria de Segurança e Saúde no Trabalho (SubSaúde), vinculada à Secretaria de Estado de Economia do DF (Seplag), em relação aos 821 professores concursados, uma vez que estão na iminência de sofrerem um segundo prejuízo, uma vez que parte deles já estão com exames admissionais expirados.

“Fiz um ofício endereçado à SubSaúde, questionando se poderiam aproveitar esses profissionais já que o exame de muitos deles, já expiraram. E acho sinceramente que seria um excesso se tiverem que fazer novamente os exames, além de serem dispêndio a eles [os professores concursados].”, disse Vianna.

Confira o vídeo