Início Notícias CLDF aprova, em segundo turno, PL do Bolsa Estágio de autoria de...

CLDF aprova, em segundo turno, PL do Bolsa Estágio de autoria de Jorge Vianna

1518

PL vai à sanção do governador do DF, Ibaneis Rocha

Por Kleber Karpov

Na quarta-feira (24/Jun), o plenário da Câmara Legislativa do DF (CLDF) aprovou, em segundo turno, o Projeto de Lei (PL) 718/2019, de autoria do deputado distrital, Jorge Vianna (Podemos). O PL cria programa de Bolsa Estágio, para estudantes de cursos de formação profissional na saúde, para atuar nas unidades da Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF).

O PL, que segue para sanção do governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB), permite aos estudantes de ensino técnico, de faculdades e universidades, adquirirem experiência no mercado de trabalho na SES-DF, maior empregador do DF, na área de saúde.

Déficit de mão de obra

Na ocasião da aprovação do PL, emocionado, Vianna comentou que a lei, se sancionada, deve ajudar na redução do déficit de profissionais na rede pública de saúde, por ser recorrente o déficit de profissionais nas unidades da rede pública de saúde. Segundo o deputado, ao disponibilizar estágios, ganham o estado, os pacientes e a população de um modo geral.

“Ter um subsídio do estágio para desempenhar essa função, pois ele acaba se tornando um trabalhador no hospital. Ele acaba ajudando muito o estado, a população e o paciente. A época do estágio é a que o paciente está mais assistido, porque tem várias pessoas querendo aprender e acaba dando maior atenção a eles.”, ponderou Vianna.

Economia

Outro fator imprescindível, apontado por Vianna, está diretamente ligado a economia, propiciada aos estudantes, em aquisições de instrumentos de trabalhos utilizados pelos estudantes. Na visão do deputado, momento mais sensível ao futuro profissional de saúde.

“Vários alunos e acadêmicos, não têm condições financeiras de se manterem no estágio, que é o momento mais caro para manter o curso. As roupas brancas, os materiais de bolso, como chamamos, o estetoscópio, enfim, tudo que precisamos para fazer o atendimento é sempre mais caro. Quando eu fiz o estágio, na minha época, foi muito difícil. Eu saía do emprego correndo, meu chefe me libertou, então eu saia correndo, sem almoçar para fazer o estágio e se não fosse minhas colegas, para fazer uma vaquinha para eu fazer um lanche, com certeza eu ia ter muita dificuldade.

Confira o vídeo