CLDF aprova, em segundo turno, PL do Bolsa Estágio de autoria de Jorge Vianna

332

PL vai à sanção do governador do DF, Ibaneis Rocha

Por Kleber Karpov

Na quarta-feira (24/Jun), o plenário da Câmara Legislativa do DF (CLDF) aprovou, em segundo turno, o Projeto de Lei (PL) 718/2019, de autoria do deputado distrital, Jorge Vianna (Podemos). O PL cria programa de Bolsa Estágio, para estudantes de cursos de formação profissional na saúde, para atuar nas unidades da Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF).

O PL, que segue para sanção do governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB), permite aos estudantes de ensino técnico, de faculdades e universidades, adquirirem experiência no mercado de trabalho na SES-DF, maior empregador do DF, na área de saúde.

Déficit de mão de obra

Na ocasião da aprovação do PL, emocionado, Vianna comentou que a lei, se sancionada, deve ajudar na redução do déficit de profissionais na rede pública de saúde, por ser recorrente o déficit de profissionais nas unidades da rede pública de saúde. Segundo o deputado, ao disponibilizar estágios, ganham o estado, os pacientes e a população de um modo geral.

“Ter um subsídio do estágio para desempenhar essa função, pois ele acaba se tornando um trabalhador no hospital. Ele acaba ajudando muito o estado, a população e o paciente. A época do estágio é a que o paciente está mais assistido, porque tem várias pessoas querendo aprender e acaba dando maior atenção a eles.”, ponderou Vianna.

Economia

Outro fator imprescindível, apontado por Vianna, está diretamente ligado a economia, propiciada aos estudantes, em aquisições de instrumentos de trabalhos utilizados pelos estudantes. Na visão do deputado, momento mais sensível ao futuro profissional de saúde.

“Vários alunos e acadêmicos, não têm condições financeiras de se manterem no estágio, que é o momento mais caro para manter o curso. As roupas brancas, os materiais de bolso, como chamamos, o estetoscópio, enfim, tudo que precisamos para fazer o atendimento é sempre mais caro. Quando eu fiz o estágio, na minha época, foi muito difícil. Eu saía do emprego correndo, meu chefe me libertou, então eu saia correndo, sem almoçar para fazer o estágio e se não fosse minhas colegas, para fazer uma vaquinha para eu fazer um lanche, com certeza eu ia ter muita dificuldade.

Confira o vídeo