Jorge Vianna fiscaliza Hospital de Campanha da PMDF

Presidente da CESC, Vianna apurou denúncia de atrasos de pagamentos de auxílio transporte aos colaboradores do HCPMDF, além de constatar subutilização de leitos para pacientes diagnosticados com Covid-19

56

O deputado distrital Jorge Vianna (Podemos) visitou, na manhã de segunda-feira (13/Set), o Hospital de Campanha da Polícia Militar do DF (HCPMDF), juntamente com os diretores do Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do DF (Sindate-DF), Newton Batista e Isa Leal. Enquanto presidente da Comissão de Educação, Saúde e Cultura (CESC), da Câmara Legislativa do DF (CLDF), Vianna realizou fiscalização na unidade, para verificar as condições de trabalho dos profissionais de saúde. A unidade recebe pacientes diagnosticadas com o coronavírus (Covid-19).

Um dos motivos da fiscalização, se deu em decorrência de atrasos de pagamento do auxílio transporte dos profissionais de saúde. Reunidos com o diretores Médico e Executivo da instituição Dr. Cláudio Vitti; Assistencial, Ana Paula Marques; e, Administrativo, Pablo Miranda, o deputado foi informado que o pagamento do auxílio transporte já foi realizado. Porém, os recursos destinados ao pagamento dos salários dos colaboradores ainda estavam pendentes de repasse, por parte da Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF).

Vianna foi informado ainda que o HCPMDF depende de tais repasses, para honrar os pagamentos dos colaboradores e que o Hospital está apto a receber tais recursos, conforme documentações apresentadas ao deputado e ao Sindate-DF, expedidos pelo Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT).

De acordo com tal documento emitido pela comissão do MPDFT, além do Despacho da SES/FSDF (46766243), o Fundo de Saúde do Distrito Federal (FSDF) solicitou à Comissão Consultiva de Monitoramento e Análise de Contratações de Serviços e Aquisições relativas ao COVID-19, manifestação sobre a regularidade do pagamento à empresa que presta serviços ao HCPMDF.

Ocupação de Leitos

Após a reunião, foi possível constatar o subaproveitamento dos leitos disponibilizados na unidade. O HCPMDF está equipado para atender 80 pacientes em Unidade de Terapia Intensiva (UTI), porém, na ocasião, a ocupação de leitos era de somente 10% da capacidade instalada.

Vianna sugeriu que, dado a disponibilidade de leitos destinados a pacientes com Covid-19, que a unidade direcione, por exemplo, a usuários que necessitem de leito de UTI para a realização de hemodiálise. “Uma parcela dos leitos que não estejam sendo ocupados por pacientes com Covid, sejam destinados aos pacientes não Covid que necessitarem de UTI para realizarem hemodiálise”. E referente aos atrasos dos salários, o parlamentar diz que essa demora está prejudicando os trabalhadores, e isso não pode acontecer.