Novo presidente do IGES é sabatinado na CLDF

15

Por Anna Araújo

O deputado distrital, Jorge Vianna, participou como membro da Comissão de Educação, Saúde e Cultura – CESC da sabatina de arguição para a indicação do novo diretor presidente do Instituto Gestão Estratégica de Saúde – IGES/DF, Gislei Morais de Oliveira, assumindo o lugar de Gilberto Occhi.

A sabatina foi feita de forma remota em audiência pública transmitida pela TV Web da Câmara Legislativa, onde os quatro deputados que fazem parte da comissão fizeram uma série de questionamentos ao indicado ao cargo. Jorge Vianna, o primeiro a fazer as perguntas foi enfático em seu discurso, criticando de cara a gestão do istituto. “A cada dia, o Iges se afunda no mar de denúncias e falta de gerência”. Segundo o deputado, o IGES deveria se tornar uma fundação, assim como a Fundação Hemocentro.

O general Gislei, como é chamado, veio do Instituto do Coração, onde era superintendente, é o quarto presidente do Iges a ser sabatinado pela Casa, o que foi pontuado por Jorge Vianna. “Parece que estamos escolhendo errado, mas, na realidade, não escolhemos, apenas avaliamos o currículo a fim de analisar se a pessoa tem condições técnicas de gerir o instituto”.

Em resposta aos questionamentos feitos pelos parlamentares, Gislei argumentou que o modelo de gestão do Iges não é ruim, mas que o mecanismo como o Instituto tem sido conduzido até o momento não funcionou, enfatizando que “o uso político da saúde é o grande problema e uma ameaça para as instituições de saúde”.

O nome do general Gislei foi aprovado por quatro dos cinco deputados da CESC. Porém, o deputado Jorge Vianna deixou claro que estão aprovando não o Iges, mas sim o seu gestor. “Estamos votando aqui não o modelo de gestão, mas sim na pessoa para gerir um serviço que a gente criticou e critica a todo momento, que é um verdadeiro carrossel de problemas”, finaliza.