Nota de Esclarecimento: Reportagem QuidNovi

474

Em relação a publicação de reportagem pelo QuidNovi, de quarta-feira (11), intitulada ‘Língua Ferina: palavras ditas não retornam’, que aborda a prática de ‘rachadinha’ por deputados distritais e, envolve o nome do deputado Jorge Vianna (Podemos), em suposta prática, apresenta os esclarecimentos abaixo ao nobre jornalista.

O deputado recebe com surpresa a afirmação: “Dois servidores ligados a Deivid revelaram ao MPDFT que o deputado distrital Jorge Vianna também usa da prática doentia de explorar servidores na prática de ‘rachadinha’”, uma vez que, o deputado e colaboradores do gabinete não mantêm, qualquer relacionamento com o referido ex-chefe de gabinete, mencionado na matéria e, tampouco, com pessoas ocasionalmente ligadas ao mesmo.

Quanto a nomeação de Mônica Cristina Pereira Xavier, o deputado esclarece que a colaboradora, com quem trabalha há cerca de uma década, detém capacidade acadêmica, técnica e profissional, compatíveis com a função que exerce no gabinete. Portanto, detém os requisitos exigidos para sua nomeação e competência para o desempenho das funções inerentes ao cargo para o qual foi nomeada e empossada.

Em relação à afirmação “O motorista que recentemente estava lotado no gabinete de Vianna recebia um salário de R$ 14.000,00 (quatorze mil reais), porém, mantinha sua família com uma pequena sobra dos proventos.”, embora tal motorista não tenha sido nominado na referida matéria, o deputado informa que mantém, assessores parlamentares no gabinete, em que, eventualmente, alguns fazem condução de veículo para o parlamentar, assim como também desempenham outras atividades, como segurança, administrativas, mobilização ou outras de natureza do mandato. Porém, o mais importante, o deputado esclarece que tais colaboradores, todos, permanecem lotados no gabinete, desde o início do mandato.

No que tange ao namorado da filha, o deputado esclarece que o mesmo não tinha vínculo direto com o gabinete, por ser lotado em outro setor da Câmara Legislativa do DF. Em todo o caso, cabe também informar, que o referido colaborador não trabalha mais na CLDF, desde o dia 2 de dezembro. Exoneração essa, publicada no Diário da Câmara Legislativa do DF, no dia 6 do mês corrente, anterior aos fatos noticiados.

Jorge Vianna aponta ter sido pego de surpresa com a referida matéria, uma vez que, em nenhum momento, recebeu qualquer notificação sobre tal assunto, por parte de qualquer instituição. O deputado expressa ter pleno interesse em uma rigorosa e eficaz investigação dos fatos, pois devem afastar quaisquer acusações de irregularidades, que possam ser atribuídas ao parlamentar.

O deputado ratifica ainda, o compromisso assumido com toda população do Distrito Federal, e em especial, com os servidores da Saúde do DF, e prosseguirá fiel em sua luta em defesa do Sistema Único de Saúde com qualidade e eficiência como é esperado e merecido pelo público usuário.

Por fim, o deputado informa que conversou com o jornalista responsável pelo QuidNovi,  esclareceu os fatos e se colocou a disposição para voltar a esclarecre quaisquer dúvidas em relação ao caso. Uma vez que a menção a suposta ‘rachadinha’, prática essa repudiada pelo parlamentar, que supostamente envolveu um motorista que havia trabalhado no gabinete, algo, conforme já mencionado, não tem procedência, uma pois todos os assessores parlamentares que eventualmente atuam na condução de veículos, permanecem lotados no  gabinete, desde o início do mandato.