Nota de repúdio à agressão do enfermeiro na UPA do Núcleo Bandeirante

714

Como Enfermeiro e Técnico em Enfermagem expresso minha profunda indignação e repúdio ao comportamento de violência contra um enfermeiro, que foi agredido fisicamente na classificação de risco da UPA Núcleo Bandeirante nesta quarta-feira (11/01).

De acordo com a ocorrência policial, uma senhora, de 48 anos, se exaltou ao receber a orientação da atendente, a qual disse que devido ao fluxo de atendimento, ela deveria passar primeiro pela triagem antes de ir para o atendimento médico, diante disso a paciente se revoltou e invadiu o consultório.

O enfermeiro do setor tentou acalmá-la, explicando que a paciente precisava passar pela triagem para checar os sinais vitais e seguir com o atendimento. Ela se exaltou ainda mais e partiu para cima do servidor, esganando-o. Foi necessário a contenção dos seguranças para que ela soltasse o pescoço do rapaz.

É um absurdo sem tamanho que situações como essas continuem acontecendo com a Enfermagem e que o responsável continue impune. São profissionais que vivem expostos e que estão ali com o objetivo de ajudar, de servir, no entanto, constantemente eles se veem ameaçados e acabam se sentindo desprotegidos no exercício da sua função. Não podemos mais aceitar esse tipo de violência, seja verbal ou física.