MPDFT recomenda ao IGESDF suspensão de contrato com empresa de esterilização

65

Quarteirização do serviço de esterilização foi denunciado pelo deputado distrital Jorge Vianna em maio desse ano ao TCDF

A 4ª Promotoria de Justiça de Defesa da Saúde (PROSUS) do MPDFT, recomendou ao Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IGESDF), na quinta-feira (12), que suspenda o processo de contratação de empresa especializada em esterilização de equipamentos.

Em maio de 2020, o deputado distrital, Jorge Vianna (Podemos), denunciou ao o Tribunal de Contas do DF (TCDF),  a quarteirização da gestão do Núcleo Central de Material de Esterilização (NUCME), por parte do IGESDF. O deputado cobrou explicações, vez que no ano anterior, o ao Instituto contratou enfermeiros e especialistas para serem lotados no NUCME. Em julho, o TCDF cobrou explicações ao instituto.

O MP recomendou também a reavaliação da necessidade de se contratar esse tipo de serviço, uma vez que conta com funcionários na instituição para realizar tais procedimentos. Segundo o PROSUS, se após a avaliação, os gestores decidirem que o processo de contratação tem condições de prosseguir, o Instituto deve analisar novamente as propostas das empresas concorrentes de modo a garantir isonomia da seleção e adequação aos preços de mercado.

Clique aqui para ler a íntegra da recomendação.